2000 BANCO EM PALHINHA

BANCO EM PALHINHA

Este móvel foi concebido a pedido de um cliente e o programa consistia num banco de espera para colocar no centro de um hall de entrada de uma moradia.
Porque o hall era um espaço de grande dimensão e de planta rectângular e porque disso havia necessidade concebi um banco bastante comprido. A escolha de uma madeira exótica como o pau santo, rica em ferro e muito densa, resulta da necessidade práctica de o estruturar com apenas quatro apoios. Para uma imagem de ainda maior leveza, concebi o assento em palhinha tradicional executada artesanalmente, que proporciona conforto criando efeitos de suspenção. Esta opção melhora também o comportamento estrutural do conjunto, criando compressão interactiva entre os elementos de madeira estruturais. O esqueleto de madeira tem uma leitura esguia de corte transversal quadrangular, 5cmx5cm, mas na realidade a sua secção é de 10cmx5cm. A articulação entre as várias peças verticais e horizontais é feita de forma a criar associações triplas, o que permite ligações sólidas entre as pernas do banco e os elementos que as ligam.
Este trabalho é uma síntese dos canapés tradicionais. A proporção resulta da escala do espaço onde o móvel será ínserido e a respectiva escala humana à qual o mesmo irá cumprir a função de a servir.
As peças são concebidas com malhetes, encaixadas à pressão e coladas entre si.
Embora a peça na sua essência seja montada artesanalmente, o recurso à industria moderna foi fundamental, nomeadamente na sua standardização.
A nossa tradição de marcenaria é forte e sobretudo no Norte de Portugal foi muito fácil encontrar profissionais competentes, que me puderam ajudar a concretizar esta ideia e com os quais muito pude aprendera.

 

.
 

esquiço 1esquiço 2rig