2007 COLAR FRACTAL

COLAR FRACTAL

A partir da forma triangular, fixando-me no equilátero, rapidamente cheguei ao tetraedro.
As sucessivas repetições do tetraedro em diferentes orientações obedeceram a regras correspondentes a uma ordem muito precisa, dentro da qual acontecem variados efeitos e situações de aparente caos. Este facto evoca o conceito fractal (1).
Esta composição cria efeitos tridimensionais novos, proporcionando grande riqueza tridimensional associada a jogos de luz decorrentes das várias orientações, transparências e opacidades.
Embora pareça uma solução dispendiosa pela sua originalidade, o facto de ser estruturalmente modular permite a produção em série optimizando os respectivos custos.
  • Um fractal é uma forma geométrica fragmentada que pode ser dividida em partes, cada uma das quais é, pelo menos aproximadamente uma cópia reduzida do todo. Os fractales são geralmente semelhantes e independentes em escala.
A geometria fractal e a teoria do caos estão a dar-nos uma nova perspectiva de ver o mundo. Durante séculos usamos a linha como um elemento construtivo básico para compreender os objectos do mundo a nossa volta. A  ciência do caos  usa  uma diferente geometria, chamada geometria fractal. A geometria fractal é uma nova linguagem, usada para descrever, modelar e analisar formas complexas encontradas na natureza.
Algumas das coisas que o fractal pode modular e produzir são plantas, o tempo, movimento de fluídos, actividades geológicas, órbitas planetárias, ritmo do corpo humano, comportamento animal em grupo, padrões sócio económicos, música, etc, que não correspondem a formas geométricas simples. Tornou-se por isso necessário utilizar uma gramática apropriada.
Fornece-nos uma forma diferente de observar e modelar fenómenos complexos em relação à geometria Euclidiana ou aos cálculos desenvolvidos por Liebnitz ou Newton. Uma conjunção entre os campos disciplinares da Ciência e a sua complexidade e as potencialidades da informática traz-nos novas ferramentas e técnicas para explorar os sistemas que gerem o mundo.
Podemos dizer que o fractal, ao contrário de um padrão Euclidiano, revela uma maior complexidade à medida que é aumentado como figura. Beck Further explica-nos que quando olhamos de perto para padrões Euclidianos, as formas assemelham-se cada vez mais a linhas rectas. Pelo contrário, quando olhamos de perto para um fractal vemos cada vez mais detalhe. O seu perímetro pode tornar-se infinitamente grande, sendo que a sua área é sempre finita. Num esquema do tamanho de uma árvore ou de uma ervilha pode traduzir-se toda a complexidade da criação da natureza.
Patenteiam graficamente a noção de «mundos dentro de mundos», razão pela qual se tornaram obsessão da cultura ocidental desde o século X até aos nossos dias.

 

.